Reduza 50% do tempo de triagem de currículos com a inteligência artificial do Pandapé

Agende uma apresentação
Gestão de Pessoas

Quiet ambition: o que é essa tendência e como o RH pode minimizar os impactos?

Quiet ambition: o que é essa tendência e como o RH pode minimizar os impactos?

Entenda o que está levando a Geração Z a não se interessar por cargos de liderança, gerando o fenômeno de quiet ambition

Atualmente no ambiente de trabalho, uma tendência emergente tem chamado a atenção dos profissionais de Recursos Humanos: o quiet ambition, ou ambição silenciosa, traduzido do inglês. 

As mudanças no panorama profissional, impulsionadas pelas novas gerações, vêm redefinindo o conceito tradicional de sucesso no trabalho. Assim, cada vez mais, os profissionais estão repensando suas prioridades, direcionando sua ambição para aspectos da vida pessoal e questionando a obsessão pela ascensão hierárquica nas organizações. 

Dessa forma, o  fenômeno que descreve uma abordagem discreta em relação à progressão na carreira e ao desenvolvimento de liderança entra em tendência, principalmente entre os membros da Geração Z, que estão desafiando as normas estabelecidas em relação ao trabalho e à carreira.

Neste artigo, exploraremos o que é a quiet ambition, como o fenômeno  surgiu, seus impactos na empresa e como o RH pode mitigar esses efeitos.

O que é o fenômeno Quiet Ambition?

Em tradução livre, quiet ambition significa “ambição silenciosa”, sendo uma abordagem mais reservada em relação ao avanço na carreira e à busca por cargos de liderança, uma certa falta de interesse, observada principalmente entre a nova geração de talentos

Ao contrário da tradicional busca por visibilidade e reconhecimento, os profissionais com adeptos ao quiet ambition tendem a focar no progresso pessoal e na entrega consistente de resultados, muitas vezes sem buscar promoções ou exposição excessiva.

De acordo com dados da Visier, somente pouco mais da metade (55%) dos funcionários da Geração Z expressam interesse em alcançar cargos executivos de alto escalão, como C-level, reforçando o chamado “quiet ambition”. 

Assim, os profissionais que adotam essa postura dão prioridade às suas necessidades pessoais e valorizam um equilíbrio saudável entre vida pessoal e profissional.

Como surgiu a tendência Quiet Ambition?

O termo “quiet ambition” apareceu pela primeira vez em um artigo da revista americana Fortune, publicado em abril de 2023, comentando sobre uma série de projeções sobre ambição profissional, acompanhados por numerosos relatos pessoais de trabalhadores.

Uma das principais razões apontadas para essa mudança de mentalidade foi a evolução dos modelos de trabalho, particularmente a ascensão do trabalho remoto. Essa transformação alterou significativamente as dinâmicas de trabalho, levando muitos profissionais a refletirem sobre suas carreiras.

Além disso, surgimento do Quiet Ambition pode ser atribuído a uma variedade de fatores sociais, culturais e organizacionais, como:

  • Mudanças na percepção do trabalho;
  • Aumento da valorização do equilíbrio entre vida pessoal e profissional;
  • Valorização da autenticidade e do impacto significativo dos negócios.

Este movimento representa um alerta ao modelo tradicional de carreira corporativa, que se baseia em promoções e ascensão à liderança como principal incentivo. De acordo com a pesquisa da Visier, apenas 4% dos funcionários consideram a promoção ao alto escalão como um objetivo prioritário de carreira. 

O que leva à falta de interesse nos cargos de liderança?

Vários motivos podem levar à falta de interesse nos cargos de liderança por parte dos profissionais, confira:

Preferência por trabalhar nos bastidores

Alguns profissionais com quiet ambition podem preferir contribuir de forma discreta, focando na execução de tarefas e na obtenção de resultados, em vez de assumir papéis de liderança que exigem maior visibilidade e exposição.

Aversão à política corporativa

Muitos profissionais com quiet ambition podem sentir desconforto ou desinteresse em lidar com jogos políticos e dinâmicas de poder comuns em cargos de liderança, preferindo evitar esse aspecto do ambiente corporativo.

Busca por equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Para alguns, o avanço na carreira e a assunção de cargos de liderança podem implicar em sacrifícios significativos em relação ao tempo e energia dedicados à vida pessoal, o que pode não ser compatível com suas prioridades e valores.

Liderança com carga excessiva de responsabilidade

Alguns profissionais com quiet ambition podem encarar os cargos de liderança como uma carga pesada de responsabilidade, com expectativas elevadas e pressão constante, o que pode não ser atrativo para eles em comparação com papéis mais especializados ou técnicos.

Como identificar colaboradores com Quiet Ambition? 

Tradicionalmente, espera-se que os profissionais almejem progresso na hierarquia da empresa, porém, para os jovens adeptos ao quiet ambition, as posições de liderança podem não ser tão atrativas como parecem.

Essa perspectiva contrasta com outras tendências comportamentais contemporâneas, como o “quiet quitting” ou “demissão silenciosa”, em que funcionários insatisfeitos reduzem sua participação, produtividade e engajamento com a empresa, optando por permanecer no mínimo necessário em suas funções.

Identificar colaboradores com quiet ambition pode exigir uma abordagem sensível e atenta por parte do RH. Sinais de quiet ambition podem incluir uma consistente entrega de resultados, uma abordagem colaborativa ao trabalho, resistência à busca por visibilidade e uma preferência por feedback construtivo e personalizado.

Abordagem sensível e atenta

O RH precisa estar atento aos comportamentos e características dos colaboradores, adotando uma abordagem sensível para identificar aqueles que podem ter quiet ambition.

Consistente entrega de resultados

Colaboradores com quiet ambition tendem a se destacar pela consistência em entregar resultados de alta qualidade, mesmo sem buscar ativamente reconhecimento ou visibilidade.

Abordagem colaborativa ao trabalho

Eles geralmente preferem trabalhar em equipe e colaborar com colegas para alcançar objetivos comuns, em vez de buscar resultados individuais.

Resistência à visibilidade

Profissionais com quiet ambition podem demonstrar uma relutância em buscar visibilidade ou promoção pessoal, optando por permanecer nos bastidores e focar no trabalho em si.

Preferência por feedback construtivo e personalizado

Em vez de buscar elogios ou reconhecimento público, colaboradores com quiet ambition valorizam feedbacks que ajudem no desenvolvimento pessoal e profissional, preferencialmente de forma mais individualizada e construtiva.

Como o Quiet Ambition pode impactar a empresa?

Embora a quiet ambition possa ter seus benefícios, como a promoção de uma cultura de colaboração e foco na entrega de resultados, também pode trazer desafios para a empresa. Isso pode incluir uma lacuna de liderança, falta de renovação e diversidade nas equipes de liderança, bem como uma possível perda de talentos para outras organizações mais agressivas na promoção de carreiras. Entenda com mais detalhes:

Lacuna de liderança

A falta de profissionais com quiet ambition assumindo cargos de liderança pode criar uma lacuna na sucessão dos cargos, tornando a empresa dependente de líderes mais visíveis, mas nem sempre mais eficazes.

Falta de renovação e diversidade nas equipes de liderança

A falta de interesse dos profissionais com quiet ambition em assumir cargos de liderança pode resultar em equipes de liderança menos diversificadas e com menor renovação, o que pode afetar a inovação e a capacidade de adaptação da empresa.

Diversidade corporativa - quiet ambition

Perda de talentos

Profissionais no quadro de quiet ambition podem optar por deixar a empresa em busca de oportunidades que valorizem mais seu estilo de trabalho e ofereçam um caminho claro de desenvolvimento de carreira, levando a uma possível perda de talentos para organizações mais agressivas na promoção de carreiras.

Como atuar diante desse comportamento?

As empresas enfrentam o desafio de se adaptar a essa nova realidade, redesenhando suas estratégias de gestão de pessoas para atender às expectativas de evolução dos colaboradores e manter suas estruturas sustentáveis com planos de sucessão. 

Isso significa não apenas repensar os modelos de carreira tradicionais, mas também desenvolver uma cultura organizacional forte e que promova a autonomia, o crescimento pessoal e a realização profissional em diferentes formas de contribuição, não apenas aquelas vinculadas à hierarquia formal

Para minimizar os potenciais impactos negativos da quiet ambition, o RH pode adotar várias estratégias, como:

Ambiente de trabalho inclusivo e de apoio

O RH pode promover uma cultura organizacional que valorize a diversidade de estilos de trabalho e de liderança, criando um ambiente onde os profissionais se sintam valorizados e apoiados independentemente de sua preferência por visibilidade.

Reconhecimento por mérito 

É importante que a empresa reconheça e recompense os profissionais com base em seus resultados e contribuições, mesmo que sejam mais discretos ou trabalhem nos bastidores, independente da visibilidade

Programa de carreira em Y 

A abordagem de desenvolvimento profissional da Carreira em Y oferece aos indivíduos a oportunidade de explorar múltiplas trajetórias dentro de uma organização. Dando a oportunidade de seguir por diferentes direções como se aprofundar em uma especialização ou de assumir papéis mais generalistas, dependendo de suas habilidades e interesses. 

Programa de carreira em Z ou Diagonal

Já a carreira em Z ou Diagonal oferece uma combinação de movimentos verticais e horizontais, permitindo que os profissionais ganhem experiência em diferentes áreas, enriquecendo seu perfil. 

Programa de carreira em Espiral

Esse modelo é mais indicado para aprofundar uma expertise central através de experiências em diversos contextos, promovendo um desenvolvimento contínuo. 

Desenvolvimento de programas de liderança adaptados

O RH pode desenvolver programas de desenvolvimento de liderança que sejam adaptados às necessidades individuais dos profissionais, oferecendo oportunidades de crescimento e desenvolvimento que respeitem suas preferências e estilos de trabalho.

Cultura de feedback aberto e contínuo

Estabelecer uma cultura de feedback aberto e contínuo pode ajudar os profissionais com quiet ambition a entender melhor suas áreas de melhoria e a receber orientação sobre como avançar na carreira de acordo com suas próprias preferências.

Incentivo à participação em projetos de desenvolvimento

O RH pode incentivar os profissionais com quiet ambition a participar ativamente de projetos e iniciativas que correspondam aos seus interesses e habilidades, oferecendo oportunidades de desenvolvimento e reconhecimento dentro da empresa.

A quiet ambition representa uma mudança significativa na abordagem tradicional em relação à carreira e à liderança. Embora ofereça vantagens, como foco na entrega de resultados e colaboração. Também pode apresentar desafios para as empresas em termos de desenvolvimento de liderança e retenção de talentos. 

É importante que as empresas reconheçam que o sucesso no trabalho vai além de meras promoções e títulos: Isso não apenas fortalecerá sua posição competitiva no mercado. Mas também garantirá que estejam preparadas para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades do futuro do trabalho. 

Para se adaptar, de certa forma, as empresas devem desenvolver programas de incentivo e escuta constante para que o colaborador veja as oportunidades onde está e de onde pode ir.

Ao adotar uma abordagem sensível e proativa, o RH pode ajudar a minimizar os impactos negativos da quiet ambition e promover um ambiente de trabalho que valorize e reconheça diferentes formas de contribuição e liderança.