Reduza 50% do tempo de triagem de currículos com a inteligência artificial do Pandapé

Fale com um Especialista
Gestão de Pessoas
RH Estratégico

Saúde mental no trabalho: como o RH pode atuar de forma efetiva?

Saúde mental no trabalho: como o RH pode atuar de forma efetiva?

O que o RH pode fazer para cuidar da saúde mental no trabalho? Veja algumas dicas de como atuar de forma eficiente para cuidar dos talentos da sua empresa

Atualmente, para muitos profissionais acordar cedo e ir trabalhar não é mais uma realidade. Afinal, o home office foi implementado por muitas empresas.

Certamente, os funcionários economizam parte do tempo de locomoção e podemos ficar em casa, de home office. Como resultado, esta atitude traz muitos benefícios:

  • O tempo evitado no transporte;
  • Mais horas de sono;
  • Mais tempo para a família;
  • Evita o estresse do trânsito;
  • Mais tempo de lazer.

Estas mudanças é vista de maneira positiva, pois facilita certas rotinas. No entanto, o tempo sem sair e ter que dividir o mesmo espaço para realizar todas as atividades, tanto pessoais quanto profissionais, pode ser difícil e afetar não apenas a qualidade de vida, mas também a saúde mental. 

Como podem ver, é nesse ponto que as empresas devem ajudar os colaboradores. Por isso, pensar no bem-estar dos funcionários é uma tarefa essencial do profissional de RH.

O ideal é criar um comitê para que o setor não se sobrecarregue, e pensar em estratégias para manter o bem-estar e a saúde mental no trabalho mesmo que a distância.

Estratégias efetivas para melhorar a saúde mental no trabalho

É preciso estimular o engajamento dos colaboradores, deixando os seguros e sempre integrado com as mudanças que ocorrem na empresa, além de manter, na medida do possível, a rotina de integração com a equipe.

São pequenas atividades no dia a dia que vão ajudar a enfrentar o home office de forma mais tranquila. Pensar que o contexto é totalmente novo e diferente, ajuda a entender quais atividades de descontração precisam ser realizadas.

Entenda que durante o home office as atividades comuns para os colaboradores, seja de lazer ou estudo, estão sendo realizadas dentro de casa. E com a pandemia todos estão confinados no mesmo ambiente durante a semana toda.

Esse confinamento aumenta as possibilidades de gerar distúrbios relacionados ao comportamento psicológicos de seus colaboradores elevando os casos de saúde mental no trabalho.

A gente sabe que atividades fora do escopo do negócio pode não ser uma prioridade da sua empresa, mas é extremamente importante estimular os colaboradores a realizar outras ocupações durante o dia.

Estimular a criatividade, diminui os níveis de estresse e ansiedade. Além disso, no próprio escritório a rotina de trabalho costuma ser mais leve com as trocas diárias entre colegas, seja no café ou até mesmo no horário de almoço.

Mudanças que facilitam a rotina e contribuem para manter a saúde mental no trabalho

  • Uso de novas ferramentas tecnológicas, com o objetivo de facilitar o trabalho diário;
  • Reformulação dos protocolos e regras da empresa;
  • Adequação das rotinas e flexibilização dos horários, a realidade pessoal de cada funcionário, lembre-se que as crianças também estão em casa;
  • Estimular o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional;
  • Manter o contato com gestores e colegas de trabalho, o recurso de vídeo chamada estimula a proximidade;
  • Adequação do espaço de trabalho, a sua empresa pode enviar os equipamentos corretos para o trabalho home office.

Para além do habitual no trabalho:

  • Ações de lazer, como chamadas que não tratem de trabalho;
  • Rodas de conversa com psicólogos;
  • Guia com dicas de leitura, filmes, séries e outras atividade culturais;
  • Iniciativas de atividades físicas, alongamentos e yoga, nesse cenário a ginastica laboral pode ser feita por vídeo chamada;
  • Oficinas de aprendizagem, cada colaborador pode se oferecer para ensinar algo novo, isso ajuda a descontrair, além de aproximar os funcionários com interesses em comum. 

Sentimentos relacionados a saúde mental no trabalho

A soma de alguns elementos como: mudança de rotina, incerteza, distanciamento da família, isolamento e a monotonia diária pode gerar diversas emoções. Em um estudo sobre recomendações psicológicas para enfrentar a pandemia, realizado pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Buenos Aires, algumas ações para superar estas sensações são apresentadas, vamos resumir aqui:

Frustação

Podemos ficar frustrados ao pensar naquelas coisas que não são possíveis de fazer por causa da quarentena. Por isso, é importante considerar que esta situação é temporária e que seremos capazes de realizar o que queremos em breve. Olhar positivamente para todas as coisas que estamos fazendo com as novas adaptações, também trazem resultados positivos.

Medo

O medo pode ocorrer devido a diversos fatores como: um possível contágio com COVID-19, ou de algum parente querido, a perda de emprego, falta de recursos ou de alimentos, entre outros. Uma forma de reduzir esse sentimento de incerteza é limitar o acesso as informações sobre o assunto, para evitar excessivamente a cobrança, negativa ou desnecessária de nós mesmos.

Tédio

Com o confinamento, a ausência de atividade fora de casa e o contato com outras pessoas pode nos deixar entediados ou sentir que a monotonia nos domina. Devido a tecnologia e a internet, podemos nos praticar exercícios físicos, cozinhar novas receitas, consumir produtos culturais, entrar em contato com amigos e familiares e desenvolver novas habilidades. 

Existem diversas atividades que podem ser realizadas de forma online ou em casa, e muitas vezes são deixadas para depois, vamos tirar proveito disso. Algumas empresas que incentivam o compartilhamento virtual de habilidades não profissionais entre os colaboradores, como mencionamos.

Desorganização

Quebrar a rotina pode criar o sentimento de distanciamento dos processos, estruturas e protocolos. Mas é preciso manter o foco e se programar para continuar no controle das situações. Por isso, é preciso adequar os hábitos e rotinas para essa nova realidade, assim é possível manter a estrutura e o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, mesmo em casa.

Raiva

O sentimento de impotência diante da situação, a incapacidade de sair ou discordar das medidas tomadas, pode gerar um sentimento de aborrecimento ou raiva. Aqui, recomendamos respirar, oxigenar, ir a um lugar feliz em nossas mentes para se acalmar, a prática de meditações e exercícios físicos também auxilia a liberar esse sentimento. 

Tristeza

Ao mudar o nosso cotidiano e interromper aquelas atividade comuns por causa do isolamento, gera o desejo de chorar ou pesar, pode levar ao desanimo, e até mesmo depressão. Podemos canalizar a tristeza através do exercício físico ou desabafar com alguém que possa nos confortar, e caso exista a necessidade, procurar ajuda profissional. Muitas empresas oferecem ajuda psicológica para cuidar da saúde mental no trabalho.

Solidão

Nem todas as pessoas são acompanhadas nesse isolamento. Pode haver colaboradores que estão em quarentena sozinhos e esse sentimento de vazio aumenta. Felizmente, a tecnologia nos permite manter laços fraternos e amigáveis. Uma iniciativa interessante e fazer uma rede de apoio, estar sempre em contato virtual com essas pessoas, saber suas angústias e novidades.

Saúde mental no trabalho também para o profissional de RH

A equipe de RH tem como tarefa importante zelar pela cultura, valores, propósito da organização e pela saúde mental no trabalho. Se normalmente é o setor de recursos humanos é o responsável pelas estratégias que visam a boa experiência do candidato e dos colaboradores, em tempo de crise, quem cuida do RH?

Mantenha o equilibro e preserve também a saúde mental no trabalho da equipe de recursos humanos. Uma das principais estratégias é a criação de um comitê de crise. Afinal, com a participação de todos os gestores, que possuem a visão interna de cada setor, além do apoio de psicólogos será possível manter uma equipe saudável.

Ainda assim, o RH consegue ser estratégico e pensar em ações eficientes para esse momento, sem se sobre carregar. E com o amparo de outros colegas a gestão dessas iniciativas fica mais tranquila e clara.

Cuidar da saúde mental no trabalho é um processo linear, no qual todos são responsáveis pelo bem-estar dos colegas, por isso, todos da empresa devem estar alinhados à cultura organizacional e atentos aos comportamentos de todos os colaboradores.

Empresas que cuidam dos colaboradores

Em conclusão, com essa situação, as empresas que são comprometidas com o bem-estar e com a saúde mental dos colaboradores, podem divulgar suas ações e cultura corporativa no ambiente digital. Ainda sim, todos os pontos que apresentamos até aqui devem ser levados em conta para traçar essas estratégias pensando na saúde dos colaboradores.

Manter o canal de comunicação aberto é sempre uma boa solução, isso facilita no entendimento das questões que cada equipe vem enfrentando, assim as soluções são personalizadas e efetivas.

As plataformas digitais e mídias sociais são o principal canal para essa comunicação empática e próxima. Além disso, a transparência dos processos auxilia na diminuição de especulações que geram inseguranças e incertezas.

Por último, a sua empresa cuida da saúde mental no trabalho? Compartilha com a gente, com o objetivo de criar uma corrente de positivismo e engajamento no mercado de trabalho.

Você já conhece o Pandapé?